sexta-feira, julho 01, 2005

Tou xim?

Atender o telefone pode ser um acto crucial para a nossa vida social... acima de tudo porque revela muito acerca de nós; pela forma como interpelamos o outro ou como lhe respondemos, qualquer comum mortal percebe que tipo de pessoa está do outro lado do aparelho e mais, consegue descortinar de imediato qual o seu estado de alma.

Quem nunca atendeu uma chamada efectuada por engano pelo interlocutor, escusa de ler os próximos parágrafos deste documento porque não vai entender o busílis da questão... a chamada "questão essencial"!

Simulação da conversa:

1ª hipótese
Tou?
Tou? Eu queria falar com o Jaquim...
Jaquim? Não há aqui ninguém com esse nome
"tu tu tu" ( tradução: som de chamada desligada na orelha do outro)

2ª hipótese
Tou sim?
Tou? Eu queria falar com o Jaquim...
Deve ser engano...
Não é do 123456789?
Não, não... aqui é do 987654321
Peço desculpa... foi engano!

Depois disto tirem as vossas ilações. Das duas, uma: ou o senhor da 1ª situação está mal disposto ou é descortês por natureza. Com qual dos dois preferiam falar? Com o da 2ª hipótese, certo?

Verdade, verdadinha é que preferia não ter que falar com nenhum dos dois, visto ser engano (e se acontecer naquela fase em que estou a dormir ou naqueles momentos acabada de acordar, com a voz rouca e ainda sem vontade de abrir a boca, nem para comer, quanto mais para falar... aí chego a ser antipática: "Desculpe o incómodo, como desculpe o incómodo? Passei a noite em claro com insónias e agora que dormia profundamente e via no sonho a chave do Euromilhões, o senhor acorda- me para nada? Fique atento ao correio, terá notícias do meu advogado! Vou processá- lo por interromper o sonho... é que fiquei com a chave a meio!")... mas tendo que conversar com um deles, ainda que por breves instantes, antes o que pediu desculpa por ter ocupado o meu prezado tempo com uma conversa tão insípida.

Não ficamos por aqui... este tema é extraordinariamente vasto... nem vos passa pela cabeça a quantidade de situações que podemos explorar neste procedimento, aparentemente simples, que é atender o telefone! Felizmente existe este blog de utilidade pública para elucidar os demais em questões tão peculiares como esta! (Considero a hipótese de pedir um subsídio ao Estado... ter ideias todos os dias é uma árdua tarefa que devia ser recompensada, sobretudo tratando- se de assuntos tão proveitosos!)

Um exemplo de excesso de boa- educação (se é que se pode considerar a educação excessiva) é o atendimento ao estilo Call Center... instiga mesmo ao enjoo, lembro- me daquelas situações em que ligamos para o Help Desk, o telefone toca uma só vez e do outro lado alguém responde a uma velocidade relâmpago: Portugal Telecom, bom dia, fala a Marta (sempre a Marta! Será que fizeram algum estudo de mercado que atesta que o nome Marta tem um efeito mais eficaz sobre os indivíduos?), em que lhe posso ser útil? Depois desta introdução à conversa até me esqueço do motivo que me levou a fazer o telefonema!

E quando nos ligam do telemarketing, ou das empresas como a Marktest para fazer uma entrevista de meia hora? Conheço a experiência de ambos os lados da linha... qualquer um (quer o de entrevistado, quer o de entrevistador) é realmente fastidioso.

E naquelas vezes em que ligamos, o telefone toca e alguém atende no momento em que estamos na iminência de desligar porque já estamos agastados com a delonga no atendimento? Telepizza, boa noite, fala a Marta!

Tirando o atendimento profissional (tanto quanto possível) do call center com as habituais expressões como "em que posso ajudá- lo", "só um momento por favor", "peço desculpa pelo tempo que aguardou", não podemos descurar também aquele que não é profissional mas tem a obrigação de ser educado, como nas empresas normais. Lembro- me daquelas situações em que ligamos e alguém atende simplesmente "tá?" sem identificar a empresa, confirmamos se é do sítio "X" e pedimos para falar com fulano "Z", o indíviduo tapa o bucal e chama o "Z" que responde gritando " Diz que eu estou em reunião", quando se aproxima do auscultador já nós estamos furiosos dizendo "Deixe estar, eu ouvi!"

É por estas e por outras que avaliamos as pessoas constantemente e somos também alvo de avaliação... pensem nisso da próxima vez que atenderem o telefone!

É claro que tudo isto passa à história agora que surgiram os tm's de 3ª geração, e já podemos ver de imediato quem está do outro lado e se está com boa cara ou todo enrugado dos lençois ou de rezinga! Seja lá como for (com 3G ou com o telefone preto de disco com aquela campainha "Trrriiimmm"), simpatia e boa educação não faz mal a ninguém e ainda não paga IVA!

2 comentários:

RR disse...

Pronto, pronto... Não chora! Amanhã atendo-te os passatempos!!!

Pitonisa disse...

Amiga,

cê se farta de teclar!!! Admiro a tua constante criatividade para "postar" novos temas.
Aplauso: clap, clap, clap!