segunda-feira, julho 11, 2005

Em 2ª fila

Estacionar em 2ª fila entrou mesmo na moda e reconheço que tem as suas vantagens... há coisa de 2 ou 3 dias um conhecido meu dizia em tom heróico, que se tinha deixado de andar às voltas à procura de lugar para estacionar o bólide... descobrira o estacionamento em 2ª fila e estava cabalmente maravilhado com o achado! Quando o outro condutor desejar sair, buzina simpaticamente e resta- nos aparecer, com um ar arrependido pelo incómodo causado, para deslocar a viatura e depois parar no lugar deixado vago!

Fiquei boquiaberta com tamanha revelação... logo eu, que tenho por hábito desperdiçar 15 a 20 minutos (quando não é mais...) do meu precioso tempo procurando lugar para o carro... chego a ficar alucinada de raiva quando não encontro um, nem perto nem longe, simplesmente não há lugar para mim! Acontece- me sempre que tenho que me deslocar ao Hospital Garcia de Orta!

Para estes meninos da 2ª fila tenho um história onde fui protagonista e da qual não me orgulho, mas foi mais forte que eu... todos temos os nossos momentos de fraqueza!

Era sábado, tinha chegado bastante cedo à 24 de Julho e estacionado o bólide num lugar excelso frente à Kapital. Radiante com distinta ventura avancei rumo ao restaurante onde cheguei à hora marcada com os restantes comparsas de folia. Decorridas 9h de intenso prazer pela noite lisboeta, encontro- me de regresso ao carro debaixo de uma chuva torrencial (daqui podem depreender que este episódio já tem pelo menos uns 2 anos) e reparo que está trancado por outro estacionado em 2ª fila!

"Era só o que me faltava... a estas belas horas ter o carro trancado e um dilúvio em cima da minha cabeça!" Dirijo- me aos portas das 3 discotecas mais próximas (onde abunda a simpatia) e indago pelo proprietário do bólide. Ninguém se acusa... não é de nenhum dos presentes e será de um ausente desconhecido! Só há uma solução lógica depois de meia- hora de espera forçada: ligar à corporação policial e mandar vir o reboque!

Então não é, que assim que o reboque engata o veículo, pronto para o levar nem sei bem para onde, aparece o feliz proprietário vestido de correntes no tronco e de cabelo espetado com gel (aquilo parecia argamassa ou uma espécie de capacete indestrutível)!? Olha para mim desavindo e sedento de explicações... respondo que perguntei aos porteiros de quem era o carro e que eles não o identificaram... respondo que esperei em vão para cima de meia hora! Mas...

O rapaz estava cego de raiva... cego e surdo, de tal forma que nem ligou patavina às minhas explicações. Limitou- se a gritar furioso " Há- des (sim, foi assim que ele disse!) passar pelo mesmo!" Aquilo caiu- me mal, digamos que foi pelo goto e deu- se a reacção... retaliei sem pesos de consciência pelo sucedido, afinal até tinha sido muito paciente... tinha tido o desprazer de falar com os portas à sua procura e ainda tinha que o ouvir rogar pragas e desaforos? "Com mil coriscos!"- pensei, e sem perder tempo bradei aos céus num tom de fazer inveja a qualquer peixeira do mercado: "Isso nunca me vai acontecer, sabes porquê? Porque eu sou daqueles parvos que andam às voltas à procura de estacionamento para não trancar o carro dos outros!"

Entrei dentro do bólide e arranquei a topo em direcção à ponte pensando como tinha sido desagradável aquele encontro com o fulano das correntes... defendo o lema "não faças aos outros aquilo que não gostavas que te fizessesm a ti" mas não me consegui conter, ele era empregado da Kapital, só devia sair da disco depois do fecho e eu ía ficar dentro do carro à espera quantas horas mais? Então lembrei- me: das duas, uma: ou os colegas porteiros não conheciam o carro dele, ou este era emprestado ou ele era um "granda palhaço" que até merecia o castigo!

Fiquei convencida de que ele era uma "granda palhaço" e esqueci o assunto até me terem falado em estacionar em 2ª fila, há 2 ou 3 dias!

1 comentário:

psychic disse...

Não posso comentar né?

(Para quem não me conhece, o que se passa comigo é que eu arranjo frequentemente lugar (quase) à porta dos locais para onde vou... se não acreditam perguntem à star_dust!)