sexta-feira, abril 14, 2006

Perda

Quando te vi pela primeira vez, confesso, não te achei grande graça e logo pensei que éramos demasiado diferentes para avançar numa relação de tamanha proximidade, mas depois de te sentir no meu corpo habituei-me à tua presença na minha vida e percebi que tinhas sido feito à minha medida... diferente dos outros porque contigo sentia-me um ser maior... ciente do teu mérito, caminhava insegura pelas pedras da calçada temendo a hipótese de te perder um dia, e subitamente, quando menos esperava e já te dava como garantido (afinal já tinha passado mais de 1 ano desde que nos juntámos), aconteceu... perdi-te. Uma estranha sensação de falta de apoio como se repentinamente me faltasse o chão.

Vacilando não dei logo pela tua falta... parecia que flutuava levemente entre as pessoas que passavam ao meu lado. Uns passos em frente e finalmente dei conta de que tinha deixado algo para trás e esse algo era tão somente a minha base de apoio... eras tu! E agora?

Pego no salto agulha que ficou caído, preso na calçada, acondiciono-o no bolso das calças e prossigo na caminhada ao melhor estilo Herr Flick (da série Allô Allô) até alguém ter a gentileza de me deixar descalça no trabalho durante 1h, enquanto o sapateiro consertava o estrago.

Doravante a nossa relação nunca mais será a mesma, nunca mais poderei confiar cegamente no meu salto agulha e terei que passar a transportar na bagageira do bólide um par de ténis suplente! A confiança que demorou 1 ano a conquistar perdeu-se em meia dúzia de passos!

3 comentários:

Jasmim disse...

A confiança é a base de uma vida..ou neste caso de duas. Mas nc percas a esperança de a reconquistar!


Bjs e boa páscoa***

Rita disse...

POis é... sem confiança n há relaçao que resista : (

psychic disse...

lol